Third anniversary, a rant and a cake - when black sesame, chocolate spread and vanilla meet

Today this blog turns three years old. I've been posting recipes for three years already, does time fly by or what? I used to be very enthused about it, at the beggining, always wanting to have food that I could style and photograph and give wings to my imagination. Lately, this hasn't been so. It's not that I don't have these flights of fancy in my head, wild ideas for photo sets that I imagine will look great, but then I feel I can't be bothered. There's hardly any visits to this blog, and no comments at all, lately. SOmeone told me recently I should blog for myself above all else, no matter what the traffic to the blog might be. But I beg to differ, because I started blogging, as I have said before, for the interaction and the connecting with like minded people. And quite frankly, for the exchange, yes, the feedback, the opinion of others on my food, my photos, my words. THose blogs that do not allow for comments, honestly, I can't understand what their purpose is. It's not my purpose at all when it comes to blogging.

I'm aware that after all is said and done, I'm still very priviledged for being able to do what I'm passionate about. I have it far easier than so many people out there struggling, and because I've been there, I know how very precious it is that I can do what I do, now. Maybe this is the price to pay for all this freedom: complete and utter isolation. In the end, maybe it's not that high a price to pay for the peace of mind and pleasure I derive out of my days. I get to have cake, don't I? In the prior anniversaries of this blog, there was cake too. And funny as it is, both cakes featured chocolate! For the first anniversary I featured my husband's delicious marble cake in a very simple setting, but focused on the same dark mood photography that still fascinates me. It's the goth vampire in me that draws me intinitely to these colours, this light, these sets. this styling. For the second anniversary, it was even darker, the mood of the photos. A yogurt and cocoa cake took center stage, and to this day these are still some of my best photos ever, and my favourites as well.

For this post, the mood is still the same, sombre and darkened, rustic, yet with a touch of old times. I chose a cake that featured vanilla, so I could present it for Marta's February table, since the ingredient she chose for this month is vanilla. Boy, do I love vanilla, I use it in so many things, even tea blends! And, coincidentally, this one is also a yogurt cake just like the previous year's one! With chocolate and cocoa, but featuring the addition of black sesame seeds, which I love so much. It's a cake that will leave you satisfied and that you can't stop digging into. It's a cake that has made me want to pst again, after a whole week of not even bothering with shooting new sets. I still have no idea how I feel about this, about going on with this. There's a lot of photos on a folder in my desktop waiting for me to edit them. There's good food in there, and in my not so humble opinion, good photos as well. But what's the point, in the end? Why waste my time?

Because it takes time, to blog. It's an investment you make, you invest yourself and your time into it. Time that could be used for other things, so and despite what anyone else might say, feedback is not only wanted, it's necessary, to make you think it's worth keeping up the blog, it's worth investing yourself and your time into it. My time lately has been invested in my writing, very much so. The third and final book of my vampire trilogy has been very hard work. There's a lot of research involved. The whole series has a lot of research involved, though it may not even show when you read the books. There was research done on the fifteenth century in Scotland, the seventeenth century in England, a bit of the eighteenth in the U.S. for Unnatural. And even more research took my time for the second book, which will be published later this year. I even managed to loose all my notes on the West Indies, the plantation life, Louisiana voodoo and New Orleans during LaLaurie's reign of terror. It was not fun, as it took hours to do that kind of research. And now I need to research stuff like ladies' undergarments in the fourteenth century, the make up used then, and a lot about modern day New Orleans, things like how much time it takes to go from this road to that other one, places of interest, small stuff that may not even be featured in the book but serve to set ambiance in my mind.

All that takes time, and effort. Just like blogging does. And when the two of them colide, I'm left not really sure of what I should do. It's not like my books are selling like hot cakes, far from it. But right now, this business of writing novels and self publishing them is really a dream come true. One I feel I must pursue, no matter how silly the stories may be - I'm not putting myself down, make no mistakes, I am qute aware that my novels are not ground breaking, for lord's sake! Nor is the writing particularly amazing, I am above all else aware of my limitations and a realist when it comes to my talents and my assets. But they're my novels, and I love them and am proud of them. I also know that somewhere out there there'll be a couple of people who will be moved by those books, by the storyline, by the writing. And that's ok. And that's something to strive for, it's a ray of hope at the end of the bottomless tunnel. This blog, on the other hand, is three years old and it has only been coming down hill. There were lots of visits and lots of comments, now there's nothing. And no hope for it. Only a sense of emptiness when I look at it, despite all the heart I pour into it and all the loving, hard work. But because I've been doing this for three years, and in spite of everything else, I couldn't let this date go by unmarked.

So here it is, a cake that mixes yogurt, roast sesame seeds, sesame oil, vanilla beans and homemade chocolate spread. For Marta's table, as well as mine, for a celebration on what I have done here so far, even if this one is only for me.

  • two pots of plain yogurt
  • 1/2 a pot of vegetable oil - the last finger make it sesame oil, exclude if you have none
  • 1 tbsp roasted black sesame seeds
  • 1 vanilla pod, scraped
  • 2 1/2 pots of sugar
  • 4 pots flour - I used half normal flour and half spelt flour
  • 2 tbsp homemade chocolate spread
  • 2 tsp baking powder
  • 3 eggs
Turn on the oven at 180º and line a baking tin with parchement paper. On a stand up mixer, beat the eggs with the yogurt and sugar and gently add the oil. Alternate between adding the flour and the eggs, making sure it all folds nicely before you move on to the next batch. Add the baking powder and the sesame seeds. Finally, fold in the chocolate spread and pour into the baking tin. Bake in a ventilated oven for about 35 minutes and let it cool completely over a rack before unmoulding it. Serve with some tea or coffee, as a snack and delight yourself with it. Promise you it's a really good one!!


  1. Querida Ruth,
    Muitos parabéns pelos três anos deste blog. Eu visito muitos blogs, este incluído, e raramente deixo um comentário. Mas gosto quando comentam no meu, quando tenho o feedback de alguém que experimentou uma receita, por isso percebo o que sentes. Tenho que deixar de ser preguiçosa quando aqui passo �� novamente, parabéns e que venham muitos mais anos de receitas boas e fotografias bonitas.

    1. Eu adoro comentar o blog alheio, são manias minhas, mas infelizmente continuo sem conseguir deixar comentários no teu, o que me deixa frustraaaaaadaaaaa!!! Dá-me sempre erro e diz que não está a funcionar :(

  2. Miranda,
    Nao sei o que te diga, tenho a Padaria como sabes há 7 anos. Pago ao wordpress para não ter publicidade no blogue, não aceito parcerias nem publicidades de produtos de caca, para fazer mth passatempos e ter mais leitores. Há blogues maiores do que o meu, pois há, com mais leitores ou visitas, não me importa. Passo por outros blogues quando posso, só os que me interessam, andar aí aos saltos de blogue em blogue a deixar comentários em vez de estar a cozinhar ou escrever não é comigo. Não me interessa qts comentários tenho, basta receber a visita de quem gosto, um email de um amigo que fiz através do blogue. Eu escrevo para mim, e basto-me. Mas compreendo o que sentes. Quando comecei a padaria tinha mais tempo para estar online e para dedicar ao blogue. Ficava triste por vezes, via um blogue com textos cheios de erros, fotografias horríveis, receitas que enfim..... e taram 50 comentários....
    O que terá pensado Umberto Ecco quando viu o livreco do tipo americano sobre o graal vender milhoes?
    Nao me parece que tenha deixado de escrever!
    Sao universos diferentes Miranda, mas tu podes tb ter mts leitores. Basta passares o dia a visitar outros blogues e no facebook a postar e postar links para a tua casa. Basta escreveres em português, posts minimos, estilo "hoje ia fazer carne assada para o jantar, mas só tinha 100 g de carne por isso fiz arroz de salsichas. + receita + fotografias ranhosas."
    Eras mais feliz com um blogue assim rapariga? Com uma casa que não te reflecte nem te deixa orgulhosa do teu trabalho?
    Segue em frente, posta qd te apetecer, o que te apetecer, quem reconhece o teu valor e aprecia o teu trabalho estará sempre aqui, nem não está não faz falta.
    Um abraco e bom fim de semana :)

    1. Hm, ponderei mto em escrever este post, com o conteúdo que escrevi, porque sabia em principio que n iria conseguir fazer-me entender - acho q nem ao vivo em conseguiria explicar a frustração que por vezes sinto e as razões de a sentir. Não é o tamanho do blog, não é os milhares de visitas ou as centenas de comentários que servem apenas para terem visitas de volta nos seus blogs, não são os números per se nem as estatisticas: é a quase completa inexistência de feedback. Faz-me sempre pensar que aquilo que apresento aqui é literalmente tão mau, mas tão mau que nem um comentário se consegue dar, pq o q é q se vai dizer qdo estás perante algo francamente MAU? E não, eu não faço este blog "para mim" mas tb n o faço para ter meio mundo a encher-me de elogios e a dizer o qto sou maravilhosa e o qto tudo o q faço é lindo. N me chocam as criticas negativas, pelo contrário, é assim que se aprende, q se evolui. Mas qdo do outro lado não há NADA - nem positivo, nem negativo - então ou se é invisivel ou se está ainda mais além de mediocre. Está-se no muito muito mau. E isso, sinceramente, faz-me pensar pq é q perco o meu tempo, então, se não evoluo, se nem sequer mereço a visita de cortesia de volta por parte de outros bloggers, se as receitas q confecciono não saem da cepa torta, as fotos só fazem é piorar, o styling é pavoroso? Porquê perder tempo então? Mas acho que n me consigo explicar bem, passo sempre a imagem da coitadinha a suplicar elogios e tráfego no seu blog, só que não é nada disso. É uma sensação de ser inexistente, de isolamento total dentro de uma suposta comunidade aonde me juntei por tanto dizerem ser uma comunidade mto unida e "supportive". Ora se o dito "support" é dado a toda a gente menos a tua pessoa, desculpem lá qualquer coisinha mas começas mesmo a sentir-te posta de parte em tudo e nada e a questionar se sequer "existes" lol! Digo isto á laia de brincadeira mas no fundo é um bocado isso, a dado momento olho para tudo isto e sinto q n existe, q n traz qq valor adicional a ninguém, nem a mim mesma, e questiono o pq de continuar. São "problemas" de cacholas q n param ahahhh.

  3. Olá minha bruxinha mai linda.
    Antes de mais! Pára tudo!! e parabéns pelo 3º aniversário do blog ponto de exclamação. Moça o teu blog faz 3 anos e sim é motivo para celebrares. São 3 anos de dedicação e muita pestana queimada, muita frustração e muita alegria, muita loucura na cozinha (pelo menos na minha às vezes é assim), e muito, muito mais coisas.
    Depois, em relação à tua publicação... já te dei a minha opinião. Eu sou aquela que te disse que deves manter o blog por que te sabe bem, porque é teu, porque é para ti. Talvez porque sempre foi assim que vi o meu. E não tem nada a ver egoísmo e nem é com falsa modéstia que o digo (do topo do meu pedestal pequenino que vou tendo algumas visitas e comentários). Sempre mantive o blog porque me sabia bem, porque era o meu escape de uma vida cheia de rotinas diárias dedicadas aos outros. O meu blog é o meu espaço, com aquilo que me faz feliz, a minha comida. Como é óbvio não há prazer maior que sentir a interacção com os outros, ver os comentários, olhar para as estatísticas e pensar "Uau 30 visitas!", ou ter o desanimo de nenhuma... tudo é tão relativo Ruth. Eu percebo-te, a sério que te percebo, mas aquilo que tu procuras eu acho que já encontraste... ou pelo menos eu quero acreditar que sim: encontraste o carinho e o respeito de um monte de pessoas que te adoram. Ok, não visitam o teu blog tanto como gostarias, não deixam comentários (YES I'M GUILTY) como gostarias, mas és apreciada. Pelo menos falo por mim! Já não imagino viver sem o teu humor negro e às vezes sarcástico, que adoro!! Adoro visitar o teu blog, porque sinto que és genuína no que fazes e dizes.
    Como é óbvio só a ti cabe a decisão de o manteres ou não, mas eu vou ficar a torcer para que o mantenhas.
    Adoro tu!, e obrigado de CORAÇÃO por trazeres este bolinho para a mesa de fevereiro :)

    1. Mas p acaso n era a ti q me estava a referir qdo escrevi o post ahahahahh, se bem q tb me disseste algo semelhante. Volto a dizer, n consigo realmente transmitir bem aquilo que é o q sinto, e n me refiro ás pessoas q vêm aqui mm q de x em qdo e deixam comentários. Essas são as pessoas q valem a pena, q n me fazem sentir invisivel, ou inexistente. Refiro-me se calhar a pessoas q estão há mais tempo na minha vida e nunca me deram uma palavra de apreço ou de incentivo, enfim, isto dava pano p mangas e n me apetece mm alongar mais o assunto. O ser apreciada sem que NUNCA ninguém nos diga n nos deixa saber q o somos lol, mas nem é p aí. Dava tanto pano para mangas, deixo apenas a analogia de q 90% do meu tempo - e n só relativamente a este blog, atenção, isto é uma infima migalha daquilo que tem sido a realidade na minha vida - sinto que estou no meio de um rio de águas extremamente turbulentas a nadar contra a corrente, por pura carolice, por querer manter-me fiel aquilo em que acredito, e aos poucos vou-me afogando no meio da correnteza sem que ninguém lance sequer uma bóia ;) dito assim parece um bocado trágico, mas n o é. É o que é, e eu sempre fui contra a corrente, sim, e n saberia viver de outra forma. Enfim;)

    2. Miranda, voltei ao mesmo post porque queria ver se estavas mais animada. Como sabes vivo aqui, ninguém fala português, mas tenho amigos que seguem o blogue para como eles dizem "ver as fotografias".
      Ninguém da minha família segue em Portugal o meu blogue, sete anos Miranda, sete anos, não seguem, não querem saber nem estão aí para o meu trabalho. Chegamos ao ponto de, não sei se te lembras qd estava doente e fui a Estocolmo nos meus anos a um concerto, uma amiga da minha irma que me segue, lhe ter perguntado se eu estava melhor, ela não sabia sequer que eu tinha ido a Estocolmo.
      A minha irma conta-me a rir-se que por vezes, qd diz a alguém que a irma é cozinheira e vive na Suécia, as amigas lhe respondem que seguem o blogue de uma chef em malmö. Resposta: é a minha irma.
      Se a minha mana tivesse um projecto com a Padaria, ao que se tem dedicado tantos anos, (e com dificuldades Miranda, vou a caminho de mais uma operação às cataratas, estar ao computador e tirar fotografias, é mt mt difícil para mim, ) eu não perdia uma oportunidade de lhe fazer publicidade, de mostrar que me orgulhava dela......para mim nada...silêncio...
      ok....vou-me embora...já fiquei triste...

    3. pois, eu n queria continuar c o assunto pa n deprimir ninguém - a mim inclusive!! Agora fiquei mm c vontade é de pegar no telefone e dar-te uma apitadela, lol, há coisas q n dá p falar nos comentários de um blog, obviously. Nem é uma questão de estar ou não animada, e mto menos me refiro á minha familia relativamente ao blog: fora marido e filho nem sabem q tenho um blog pq eu n quero q sabem. Falo mm é de amigos, de pessoas q qdo precisam de que eu lhes levante a moral e o ânimo, de qdo precisam de alguém q apoie incondicionalmente os seus sonhos, projectos, objectivos, sabem vir a correr ter comigo. Mas nunca fazem o contrário. ENfim, volto a dizer, de x em qdo dá-me este desãnimo - c tt coisa q nem te passa!! - mas depois e coo eu sou uma p... duma convencida e cheia de si, passa-me pois começo logo a pensar cassafoda, sou tão mais eu, e sou tão magnifica!! lol, agora o q é q EU vou fazer p te animar a ti, pah???? Vou roubar o bolo q fizeste p o Viking, pronto, é isso!!


Post a Comment